Em algum momento Jesus teve raiva?



Pergunta: "Em algum momento Jesus teve raiva?"

Resposta:
Quando Jesus expulsou os cambistas e vendedores de animais do Templo, Ele demonstrou muita emoção e raiva (Mateus 21:12-13, Marcos 11:15-18, João 2:13-22). A emoção de Jesus foi descrita como "zelo" pela casa de Deus (João 2:17). Sua raiva era pura e completamente justificada porque na sua raiz estava uma preocupação pela santidade e adoração de Deus. Porque estas estavam em jogo, Jesus tomou uma ação rápida e decisiva. Jesus mostrou raiva outra vez na sinagoga de Cafarnaum. Quando os fariseus se recusaram a responder às perguntas de Jesus, "Irado, olhou para os que estavam à sua volta e, profundamente entristecido por causa dos seus corações endurecidos..." (Marcos 3:5).

Muitas vezes enxergamos a raiva como uma emoção egoísta e destrutiva que devemos erradicar da nossa vida completamente. No entanto, o fato de que Jesus algumas vezes ficou irritado indica que a raiva em si, como uma emoção, é amoral. Isso é confirmado em outras partes do Novo Testamento. Efésios 4:26 nos instrui: "Quando vocês ficarem irados, não pequem" e não deixem que o sol se ponha sobre a sua ira. O comando não é para "evitar a ira" (ou suprimi-la ou ignorá-la), mas para lidar com ela corretamente e em tempo hábil. Os seguintes fatos sobre as exibições de raiva de Jesus devem ser observados:

1) A Sua ira tinha a motivação adequada. Em outras palavras, Ele irritou-se pelas razões certas. A ira de Jesus não resultou de brigas mesquinhas ou de uma falta de consideração contra Ele. Não houve egoísmo envolvido.

2) A Sua ira tinha o foco adequado. Ele não estava zangado com Deus ou com as "fraquezas" de outras pessoas. Sua raiva tinha como alvo o comportamento pecaminoso e a verdadeira injustiça.

3) A Sua ira tinha o suplemento adequado. Marcos 3:5 diz que a Sua ira foi combinada com tristeza pela falta de fé dos fariseus. A ira de Jesus originou-se do amor pelos fariseus e preocupação com a sua condição espiritual. Não tinha nada a ver com ódio ou má vontade.

4) A Sua ira tinha o controle adequado. Jesus nunca estava fora de controle, mesmo quando irado. Os líderes do templo não gostaram da Sua purificação do templo (Lucas 19:47), mas Ele não tinha feito nada pecaminoso. Jesus controlou as Suas emoções e não ao contrário.

5) A Sua ira tinha a duração apropriada. Ele não permitiu que a Sua ira se transformasse em amargura e nem guardou rancor. Ele lidou com cada situação de forma adequada e cuidou da raiva em tempo hábil.

6) A Sua ira tinha o resultado certo. A ira de Jesus tinha a consequência inevitável de uma ação piedosa. A raiva de Jesus, assim como todas as Suas emoções, foi expressada de acordo com a Palavra de Deus; sendo assim, a resposta de Jesus alcançou a vontade de Deus.

Quando ficamos com raiva, muitas vezes temos um controle inadequado ou um foco inadequado. Geralmente falhamos em um ou mais dos pontos acima. Esta é a ira do homem, da qual nos é dito: "Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus" (Tiago 1:19 - 20). Jesus não exibiu ira semelhante à do homem, mas a perfeita e justa indignação de Deus.


Voltar à página principal em português

Em algum momento Jesus teve raiva?