Livro de 2 Reis



Autor: O Livro de 2 Reis não cita especificamente o nome do seu autor. A tradição é que ele foi escrito pelo profeta Jeremias.

Quando foi escrito: O Livro de 2 Reis, assim como 1 Reis, foi provavelmente escrito entre 560 e 540 AC.

Propósito: O Livro de 2 Reis é uma continuação do livro de 1 Reis. Ele continua a história dos reis durante o reino dividido (Israel e Judá). O Livro de 2 Reis termina com a derrota final e deportação do povo de Israel e Judá para Assíria e Babilônia, respectivamente.

Versículos-chave: 2 Reis 17:7-8: “Tal sucedeu porque os filhos de Israel pecaram contra o SENHOR, seu Deus, que os fizera subir da terra do Egito, de debaixo da mão de Faraó, rei do Egito; e temeram a outros deuses. Andaram nos estatutos das nações que o SENHOR lançara de diante dos filhos de Israel e nos costumes estabelecidos pelos reis de Israel.”

2 Reis 22:1a-2: “Tinha Josias oito anos de idade quando começou a reinar e reinou trinta e um anos em Jerusalém. Fez ele o que era reto perante o SENHOR, andou em todo o caminho de Davi, seu pai, e não se desviou nem para a direita nem para a esquerda.”

2 Reis 24:2: “Enviou o SENHOR contra Jeoaquim bandos de caldeus, e bandos de siros, e de moabitas, e dos filhos de Amom; enviou-os contra Judá para o destruir, segundo a palavra que o SENHOR falara pelos profetas, seus servos.”

2 Reis 8:19: “Porém o SENHOR não quis destruir a Judá por amor de Davi, seu servo, segundo a promessa que lhe havia feito de lhe dar sempre uma lâmpada e a seus filhos.”

Resumo: Segundo Reis retrata a queda do reino dividido. Profetas continuam a alertar as pessoas que o juízo de Deus está próximo, mas elas não se arrependem. O reino de Israel é repetidamente governado por reis maus, e apesar de alguns dos reis de Judá serem bons, a maioria acaba afastando o povo de adoração ao Senhor. Os poucos governantes que eram bons, junto com Eliseu e outros profetas, não podem parar o declínio da nação. O Reino do Norte de Israel é eventualmente destruído pelos assírios, e cerca de 136 anos depois o Reino do Sul (de Judá) é destruído pelos babilônios.

Existem três temas de destaque presentes no livro de 2 Reis. Primeiro, o Senhor julgará o seu povo quando eles desobedecem e viram as costas para Ele. A infidelidade dos israelitas foi refletida na idolatria perversa dos reis e resultou em Deus exercendo Sua justa ira contra a rebelião. Em segundo lugar, a palavra dos verdadeiros profetas de Deus sempre se realizam. Porque o Senhor sempre cumpre sua palavra, assim também as palavras de seus profetas são sempre verdadeiras. Em terceiro lugar, o Senhor é fiel. Ele se lembrou de sua promessa a Davi (2 Samuel 7:10-13) e, apesar da desobediência do povo e dos reis perversos que os governaram, o Senhor não deu um fim à família de Davi.

Prenúncios: Jesus usa as histórias da viúva de Sarepta de 1 Reis e Naamã em 2 Reis para ilustrar a grande verdade da misericórdia de Deus para com aqueles que os judeus consideravam indignos da graça de Deus - os pobres, os fracos, os oprimidos, os cobradores de impostos, samaritanos, gentios. Ao citar os exemplos de uma viúva pobre e um leproso, Jesus mostrou-se o Grande Médico que cura e ministra para aqueles que mais necessitam da graça soberana de Deus. Essa mesma verdade foi a base do mistério do corpo de Cristo, Sua Igreja, os quais seriam provenientes de todos os níveis da sociedade, homens e mulheres, pobres e ricos, judeus e gentios (Efésios 3:1-6).

Muitos dos milagres de Eliseu prenunciaram os do próprio Jesus. Eliseu ressuscitou o filho da mulher sunamita (2 Reis 4:34-35), curou Naamã da lepra (2 Reis 5:1-19) e multiplicou pães para alimentar uma centena de pessoas com alguma sobra (2 Reis 4:42-44).

Aplicação Prática: Deus odeia o pecado e não permitirá que continue indefinidamente. Se pertencemos a Ele, podemos esperar Sua disciplina quando Lhe desobedecemos. Um Pai amoroso corrige seus filhos para o seu bem e para provar que realmente pertencem a Ele. Deus pode, por vezes, utilizar os incrédulos para trazer correção ao Seu povo e Ele nos dá advertência antes de proferir julgamento. Como Cristãos, temos a Sua Palavra para nos guiar e nos advertir quando nos desviamos do Seu caminho. Assim como os profetas antigos, Sua Palavra é confiável e sempre fala a verdade. A fidelidade de Deus para o Seu povo nunca falhará, mesmo quando nós mesmos falhamos.

As histórias da viúva e do leproso são exemplos para nós no que diz respeito ao Corpo de Cristo. Assim como Eliseu teve pena das pessoas dos níveis mais baixos da sociedade, devemos também acolher a todos os que pertencem a Cristo em nossas igrejas. Deus não faz “acepção de pessoas” (Atos 10:34) e nem devemos fazer.


Voltar à página principal em português

Livro de 2 Reis