O Espírito Santo é um 'Ele', 'Ela' ou 'algo', ou seja, masculino, feminino ou neutro?



Pergunta: "O Espírito Santo é um 'Ele', 'Ela' ou 'algo', ou seja, masculino, feminino ou neutro?"

Resposta:
Um erro comum cometido em relação ao Espírito Santo encontra-se em referir-se ao Espírito como "algo", o que a Bíblia nunca faz. O Espírito Santo é uma pessoa. Ele tem os atributos de personalidade, executa as ações de pessoas e tem relações pessoais. Ele tem entendimento (1 Coríntios 2:10-11). Ele sabe das coisas, o que requer um intelecto (Romanos 8:27). Ele tem uma vontade (1 Coríntios 12:11). Ele convence do pecado (João 16:8). Ele faz milagres (Atos 8:39). Ele guia (João 16:13). Ele intercede entre as pessoas (Romanos 8:26). Ele é para ser obedecido (Atos 10:19-20). Pode-se mentir a Ele (Atos 5:3), resisti-lo (Atos 7:51), entristecê-lo (Efésios 4:30), blasfemá-lo (Mateus 12:31) e até mesmo insultá-lo (Hebreus 10:29). Ele se relaciona com os apóstolos (Atos 15:28) e com cada membro da Trindade (João 16:14, Mateus 28:19, 2 Coríntios 13:14). A personalidade do Espírito Santo é apresentada sem qualquer dúvida na Bíblia, mas qual o seu sexo?

Linguisticamente, é claro que a terminologia teísta masculina domina as Escrituras. Ao longo de ambos os testamentos, as referências a Deus usam pronomes masculinos. Os nomes específicos de Deus (ex: Yahweh, Elohim, Adonai, Kurios, Theos, etc.) estão todos no gênero masculino. Deus nunca recebe um nome feminino e nunca é mencionado com pronomes femininos. O Espírito Santo é mencionado no masculino em todo o Novo Testamento, embora a palavra para "espírito" por si só (pneuma) seja na verdade neutra. A palavra hebraica para "espírito" (ruach) é feminina em Gênesis 1:2. Entretanto, o gênero de uma palavra em grego ou hebraico não tem nada a ver com a identidade do gênero.

Teologicamente falando, já que o Espírito Santo é Deus, podemos fazer algumas afirmações sobre Ele a partir de afirmações gerais sobre Deus. Deus é espírito, em oposição ao físico ou material. Deus é invisível e espírito (ou seja, sem corpo) - (João 4:24, Lucas 24:39; Romanos 1:20, Colossenses 1:15, 1 Timóteo 1:17). É por isso que nenhuma coisa material jamais podia ser usada para representar Deus (Êxodo 20:4). Se o gênero é um atributo do corpo, então um espírito não tem sexo. Deus, em Sua essência, não tem sexo.

As identificações do gênero de Deus na Bíblia não são unânimes. Muitas pessoas pensam que a Bíblia apresenta Deus em termos exclusivamente masculinos, mas esse não é o caso. O livro de Jó retrata Deus dando à luz e Isaías o retrata como uma mãe. Jesus descreveu o Pai sendo como uma mulher em busca de uma moeda perdida em Lucas 15 (e Ele mesmo como uma "galinha" em Mateus 23:37). Em Gênesis 1:26-27 Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança”, e então “Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou”. Assim, a imagem de Deus era masculina e feminina - e não apenas uma ou a outra. Isso é confirmado em Gênesis 5:2, o qual pode ser traduzido literalmente como "Ele os criou homem e mulher; quando foram criados, ele os abençoou e os chamou de Adão." O termo hebraico "adão" significa "homem" - com o contexto mostrando se significa "homem" (em oposição à mulher) ou "humanidade" (no sentido coletivo). Portanto, em qualquer grau que a humanidade seja feita à imagem de Deus, o gênero não é um problema.

No entanto, o retrato masculino na revelação não é sem significado. A segunda vez que foi especificamente dito que Deus se revelava através de uma imagem física foi quando Jesus recebeu o pedido de mostrar o Pai aos discípulos em João capítulo 14. Ele responde no versículo 9, dizendo: "Quem me vê, vê o Pai." Paulo deixa claro que Jesus era a imagem exata de Deus em Colossenses 1:15 ao chamar Jesus de "a imagem do Deus invisível." Este versículo é colocado em uma seção que demonstra a superioridade de Cristo sobre toda a criação. A maioria das religiões antigas acreditava num panteão - deuses e deusas - que era digno de adoração. No entanto, uma das marcas distintivas do Cristianismo judaico é a sua crença em um Criador supremo. A linguagem masculina melhor exemplifica esta relação do criador com a criação. Assim como um homem entra em uma mulher para engravidá-la, assim Deus cria o universo ao invés de criá-lo de dentro de si mesmo. . . Assim como uma mulher não pode engravidar a si mesma, da mesma forma o universo não pode criar a si mesmo. Paulo transmite essa ideia em 1 Timóteo 2:12-14 quando se refere à ordem da criação como um modelo para a ordem da igreja.

No final, qualquer que seja a nossa explicação teológica, o fato é que Deus usou exclusivamente termos masculinos para se referir a si mesmo e quase que exclusivamente terminologia masculina em metáforas. Por meio da Bíblia Ele nos ensinou a como nos dirigirmos a Ele, e isso foi em termos relacionais masculinos. Assim, embora o Espírito Santo não seja nem masculino nem feminino em sua essência, Ele é devidamente mencionado no masculino em virtude de Sua relação com a criação e revelação bíblica. Não há absolutamente nenhuma base bíblica para enxergar o Espírito Santo como o membro "feminino" da Trindade.


Voltar à página principal em português

O Espírito Santo é um 'Ele', 'Ela' ou 'algo', ou seja, masculino, feminino ou neutro?