O que é o ocultismo?



Pergunta: "O que é o ocultismo?"

Resposta:
O dicionário define o oculto como "aquilo que é escondido, secreto e misterioso, particularmente no que se relaciona ao sobrenatural." Alguns exemplos de práticas ocultas são a astrologia, a bruxaria (Wicca), as artes negras, a cartomancia, a magia (tanto negra quanto branca), as tábuas Ouija , as cartas de tarô, o espiritismo, a parapsicologia e o satanismo. Os seres humanos têm sido sempre interessados no ocultismo, desde os tempos antigos até hoje. As práticas ocultas e fenômenos psíquicos têm cativado milhões de pessoas em todo o mundo, e isso não se limita aos ignorantes ou incultos. Existem vários fatores que tornam o ocultismo fascinante para todos, até mesmo em nossa época de avanços tecnológicos e científicos.

Por um lado, as práticas ocultas apelam à nossa curiosidade natural. Muitas pessoas que se envolvem com o ocultismo começam com práticas "inofensivas", como brincar com um tabuleiro Ouija por curiosidade. Muitos que começaram desta forma encontraram-se se aprofundando cada vez mais no ocultismo. Infelizmente, este tipo de envolvimento é semelhante à areia movediça - fácil de entrar e difícil de sair. Um outro fascínio do ocultismo é que ele parece oferecer respostas rápidas e fáceis para as questões da vida. O astrólogo alegremente mapeia o seu futuro, o tabuleiro Ouija e cartas de tarô dão-lhe direção e o psíquico ajuda-lhe a entrar em contato com a sua tia Esther, a qual lhe diz que tudo está bem na outra vida. As práticas ocultas são controladas por demônios que oferecem informações suficientes para manter as suas vítimas fascinadas, enquanto exercem cada vez mais controle sobre os corações e mentes crédulas.

O perigo das práticas ocultistas não pode ser enfatizado demais. A Bíblia nos diz que Deus detesta o ocultismo e advertiu os israelitas a não se envolverem com essas coisas. As nações pagãs que circundavam Israel estavam mergulhadas no ocultismo - adivinhação, magia, feitiçaria, espiritismo- e esta é uma razão pela qual Deus deu ao seu povo a autoridade para expulsá-las da terra (Deuteronômio 18:9-14). O Novo Testamento nos diz que o aumento de interesse pelo ocultismo é um sinal do fim dos tempos: "Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios" (1 Timóteo 4:1).

Como devemos reconhecer o oculto e aqueles que o promovem? O incidente envolvendo Paulo e Barnabé nos primeiros dias da igreja é um bom lugar para começar. "Havendo atravessado toda a ilha até Pafos, encontraram certo judeu, mágico, falso profeta, de nome Barjesus, o qual estava com o procônsul Sérgio Paulo, que era homem inteligente. Este, tendo chamado Barnabé e Saulo, diligenciava para ouvir a palavra de Deus. Mas opunha-se-lhes Elimas, o mágico (porque assim se interpreta o seu nome), procurando afastar da fé o procônsul. Todavia, Saulo, também chamado Paulo, cheio do Espírito Santo, fixando nele os olhos, disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perverter os retos caminhos do Senhor?" (Atos 13:6-10).

Dessa narrativa, vemos várias características dos envolvidos no ocultismo. Eles são falsos profetas (v. 6) que negam as doutrinas básicas do Cristianismo: a divindade de Cristo, a queda do homem em pecado, céu, inferno, salvação e a obra expiatória de Cristo na cruz. Em segundo lugar, buscam influenciar as pessoas, particularmente aquelas em posições de poder, para afastá-las da fé (versículos 6-7). Em terceiro lugar, fazem tudo ao seu alcance para impedir que o verdadeiro evangelho de Cristo seja espalhado, opondo-se aos Seus ministros em cada chance (versículo 8). Quando a verdade do evangelho da salvação pela fé em Cristo é reduzida, aguada ou categoricamente rejeitada, Satanás e seus demônios se alegram.

Não há dúvidas quanto ao fato de que o oculto em todas as suas formas deve ser evitado. Devemos ser "sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar" (1 Pedro 5:8). Parte de ser sóbrio e vigilante é ser sábio quanto aos esquemas de Satanás, mas isso não significa se aprofundar nos detalhes de cada prática e fenômeno oculto. Em vez disso, devemos entender o objetivo final do diabo –a destruição das nossas almas – e nos proteger colocando a "armadura de Deus" (Efésios 6:10-18). Só então poderemos permanecer firmes e extinguir os "dardos inflamados" do maligno.


Voltar à página principal em português

O que é o ocultismo?