Quais são os motivos bíblicos para o divórcio?



Pergunta: "Quais são os motivos bíblicos para o divórcio?"

Resposta:
Quando se discute o que a Bíblia diz sobre o divórcio, é importante ter em mente as palavras de Malaquias 2:16: “‘Eu odeio o divórcio’, diz o Senhor, o Deus de Israel." Qualquer que seja o fundamento que a Bíblia possivelmente dê para o divórcio, isso não significa que Deus deseja que o divórcio ocorra nesses casos. Ao invés de perguntar se ______ é um motivo para o divórcio, muitas vezes a pergunta deveria ser: "é _______ um motivo para o perdão, restauração e/ou aconselhamento?"

A Bíblia dá dois motivos claros para o divórcio: (1) a imoralidade sexual (Mateus 5:32; 19:9) e (2) o abandono por um incrédulo (1 Coríntios 7:15). Mesmo nesses dois casos, porém, o divórcio não é necessário, ou mesmo encorajado. O máximo que se pode dizer é que a imoralidade sexual e o abandono têm a permissão de Deus para o divórcio. A confissão, o perdão, a reconciliação e a restauração são sempre os primeiros passos. O divórcio só deve ser visto como o último recurso.

Existem motivos para o divórcio além do que a Bíblia diz explicitamente? Talvez, mas não devemos presumir ou supor sobre a Palavra de Deus. É muito perigoso ir além do que diz a Bíblia (1 Coríntios 4:6). Os motivos adicionais mais frequentes sobre os quais as pessoas perguntam são maus-tratos (físicos ou emocionais), o abuso de crianças (emocional, físico ou sexual), vício em pornografia, uso de drogas/álcool, crime/prisão e a má gestão das finanças (tais como através de um vício do jogo). Não se pode reivindicar que nenhum deles seja um motivo bíblico explícito para o divórcio.

No entanto, isso não significa necessariamente que Deus não aprovaria nenhum deles como um motivo para o divórcio. Por exemplo, não podemos imaginar que seria o desejo de Deus que uma esposa ficasse com um marido que abuse dela ou dos filhos fisicamente. Em tal caso, a mulher e os filhos devem definitivamente separar-se do marido/pai abusivo. No entanto, mesmo em tal situação, um tempo de separação com o objetivo de arrependimento e restauração deve ser o ideal, não necessariamente imediatamente começar o processo de divórcio. Por favor, entenda que ao afirmar que as situações acima não são bases bíblicas para o divórcio, definitivamente não estamos dizendo que um homem/mulher cujo cônjuge esteja envolvido em tais atividades deve permanecer na situação. Se houver qualquer risco para si ou para as crianças, a separação é um bom e apropriado passo.

Uma outra maneira de avaliar esta questão é diferenciar entre fundamentos bíblicos para o divórcio e fundamentos bíblicos para o divórcio e novo casamento. Alguns interpretam os dois fundamentos bíblicos para o divórcio mencionados acima como os únicos motivos para um novo casamento, mas permitem o divórcio sem um novo casamento em outras instâncias. Embora esta seja uma interpretação plausível, parece chegar muito perto de presumir sobre a Palavra de Deus.

Em resumo, quais são as bases bíblicas para o divórcio? A resposta é a imoralidade sexual e abandono. Há outros motivos para o divórcio além desses dois? Possivelmente. Deve o divórcio ser tratado levemente ou empregado como o primeiro recurso? Absolutamente não. Deus é capaz de mudar e transformar qualquer pessoa. Deus é capaz de curar e renovar qualquer casamento. O divórcio só deve ocorrer em casos de pecado hediondo cometido repetidamente e sem arrependimento.


Voltar à página principal em português

Quais são os motivos bíblicos para o divórcio?