O que deve uma igreja fazer com as ofertas que recebe?



 

Pergunta: "O que deve uma igreja fazer com as ofertas que recebe?"

Resposta:
Cada igreja recebe algum tipo de dízimos ou ofertas. Seja através de "passar uma cesta ou prato" durante o culto, de uma caixa na parte de trás do santuário ou através de algum outro método de recolha, a igreja precisa de fundos para operar. Como a igreja usa esses fundos é importante, já que ela tem responsabilidades para com os seus membros, comunidade circunvizinha e com Deus.

Em primeiro lugar, uma igreja tem uma responsabilidade para com os seus membros. A primeira igreja, aquela iniciada em Jerusalém no dia de Pentecostes, teve o cuidado especial de atender às necessidades práticas dos seus membros: “Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes e depositavam aos pés dos apóstolos; então, se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade” (Atos 4:33-35). Vemos que o dinheiro era levado aos líderes da igreja, os quais eram responsáveis pela sua distribuição com base nas necessidades. Alimentos também estavam sendo distribuídos às viúvas entre eles (Atos 6:1).

Os apóstolos em Jerusalém, ao afirmar o ministério de Paulo entre os gentios, pediram que "nos lembrássemos dos pobres" (Gálatas 2:10). Assim, o trabalho de caridade para beneficiar os pobres dentro da igreja deve ser parte do seu orçamento. Mais tarde, Paulo dá algumas orientações sobre quem deve receber ajuda da igreja e quem deve depender de outra fonte para o seu sustento (1 Timóteo 5:3-16).

Várias igrejas locais no primeiro século também recolheram ofertas para ajudar outras igrejas em necessidade. Especificamente, a igreja em Jerusalém estava sofrendo perseguição e fome, e a igreja em Antioquia forneceu recursos para ajudar (Atos 11:29). Paulo mais tarde recolheu ofertas da Galácia (1 Coríntios 16:1), Corinto (1 Coríntios 16:3), Macedônia e Acaia (Romanos 15:25-26) para Jerusalém. Ele estava acompanhado por emissários de Bereia, Tessalônica, Derbe e da província da Ásia (Atos 20:4).

Em segundo lugar, uma igreja tem uma responsabilidade por sua comunidade circunvizinha. Alcançar essa comunidade para Cristo é necessário. "Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé" (Gálatas 6:10). Este versículo define a prioridade – a família de Deus em primeiro lugar - mas também devemos procurar formas de "fazer o bem" para todos. Claro que isso deve envolver a evangelização (Atos 1:8). Uma igreja saudável deve enviar missionários (ver Atos 13:2-3) ou pelo menos apoiar missionários em várias áreas de serviço.

Uma igreja que perde o seu foco externo, como evidenciado por onde gasta o seu dinheiro, está mostrando sinais de fraqueza espiritual. O autor e consultor de igreja Thom S. Rainer, em seu livro Autopsy of a Dead Church (Autópsia de uma Igreja Morta), afirma que um dos sintomas de uma igreja morta é que a percentagem do orçamento para as necessidades dos membros continua a aumentar, enquanto que o dinheiro para ajudar nessa área diminui.

Em terceiro lugar, a igreja tem uma responsabilidade para com Deus. O nosso Senhor conhece a Sua igreja (Apocalipse 2:2, 9, 13, 19), ordena que a Sua Palavra seja pregada (Romanos 10:14; 2 Timóteo 4:2) e que "o mistério de Cristo" seja proclamado (Colossenses 4:3). Compartilhar o evangelho é o mais importante. Qualquer coisa que promova esse objetivo deve receber prioridade, e pagar o salário do pastor faz parte desse objetivo. "Devem ser considerados merecedores de dobrados honorários os presbíteros que presidem bem, com especialidade os que se afadigam na palavra e no ensino. Pois a Escritura declara: Não amordaces o boi, quando pisa o trigo. E ainda: O trabalhador é digno do seu salário" (1 Timóteo 5:17-18). Aqueles que fielmente ministram a Palavra de Deus devem receber a devida compensação pelo seu trabalho (ver também 1 Coríntios 9:11).

É necessário ter sabedoria quanto aos gastos de uma igreja, e devemos pedir a Deus por orientação (Tiago 1:5). Não há nada de errado em ter um edifício moderno ou jardins bem conservados, mas muitas vezes nos perguntamos se o dinheiro seria melhor gasto apoiando outro missionário ou ajudando as igrejas mais pobres do mundo.

A igreja deve ter o objetivo de fazer a obra de Deus no mundo. E tudo deve ser feito para a glória de Deus (1 Coríntios 10:31). A igreja primitiva perseverava "na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações" (Atos 2:42). Talvez essas ações – ministrando a Palavra, tendo comunhão uns com os outros, participando da santa ceia e orando - devem ser um guia básico de como uma igreja usa suas ofertas.


Voltar à página principal em português

O que deve uma igreja fazer com as ofertas que recebe?